Sustentabilidade na moda: porque precisamos repensar!

Sustentabilidade na moda cartazes sobre emissão de carbono na indústria fashion

Sustentabilidade na moda é um tema delicado e para muitos controverso, já que a indústria têxtil é uma das que mais impactam negativamente o meio ambiente.  

O que vem à sua mente quando o assunto é “sustentabilidade na moda”? Consumir menos e melhor, uso de matérias primas amigas da natureza e o resumo de materiais muitas vezes descartados.

O planeta Terra vem sofrendo há muitos anos com o uso abuso de recursos naturais, o descarte de poluentes em rios, o uso desgovernado de água doce e o consumo incalculável de energia hídrica.

O conceito de sustentabilidade vem se alinhando aos mais variados setores da sociedade e, tem como meta melhorar a qualidade de vida a todos os seres vivos e prolongar os recursos naturais que a cada dia ficam mais escassos.

Na moda a sustentabilidade surge não apenas incentivando o uso de materiais inteligentes e menos agressivos ao meio ambiente, mas também incentiva um novo modo de consumir. Vamos entender melhor o que é sustentabilidade na moda, como incentivar essa ideia e como consumir de forma mais inteligente e consciente!

Sustentabilidade na moda: saiba como repensar o assunto

Desfile moda sustentável

Repensar, talvez, seja a palavra de ordem para que tenhamos uma indústria da moda sustentável e consciente. É olhar com mais cuidado para o meio ambiente e para a sociedade que nele vive. Dando mais atenção ao processo produtivo e não ao processo de venda e comercialização do produto final.

Produzir roupas ecologicamente corretas, feitas por meio de material orgânico, eliminar o uso de tecidos sintéticos, reduzir o consumo de recursos hídricos e, especialmente, educar e conscientizar a população consumidora.

Produções em menor escala, roupas de melhor qualidade para que possam durar mais, gerar uma cadeia de oportunidade e, claro, incentivar a roda do reuso de elementos finalizados e, também, de sobras que iriam para o lixo.

Mas como isso é possível? Olhando para as reais necessidades da sociedade, voltando no tempo e resgatando formas de produção artesanal. Repensar o consumo feito através de grandes varejistas e fast fashion que comercializam basicamente roupas feitas em material sintético, com vida útil curta e produção em cadeia em grande escala é o maior desafio da moda sustentável.

Por que incentivar as pequenas produções e dar oportunidades para trabalhadores locais é importante? Porque, basicamente, isso pode ajudar a tornar a moda sustentável mais acessível tanto para quem a produz, como para quem irá consumi-la.

Ou seja, quanto maior o número de pessoas abraçando a sustentabilidade na moda, mais opções o mercado terá, mais empregos são gerados, menos resíduos são descartados na natureza e mais barato o produto final fica.

Leia também: VEJA COMO FOI A PRIMEIRA EDIÇÃO DIGITAL DA SEMANA DA MODA EM LONDRES!

O que é ser sustentável

Ser sustentável é agir de maneira consciente, pensando não apenas em si, mas em toda a sociedade e no meio no qual se está inserido.

Antigamente tinha-se a ideia de que ser sustentável era “ser verde” e não fazer nada que agredisse apenas a natureza, ou que plantar uma árvore já bastava para dar a alguém um título de cidadão sustentável.

Hoje, é sabido que ser sustentável vai muito além disso, cuidar dos recursos naturais, não poluir e saber fazer o reuso ou o não descarte excessivo de materiais não-orgânicos na natureza é o básico.

Ser sustentável é trabalhar em benefício da sociedade como um todo, gerando oportunidades de capacitação e trabalho, repensando atitudes, reciclando materiais que antes iriam para o lixo e dando uma sobrevida para todo o tipo de sobras.

Ações sustentáveis focam sempre no amanhã, no futuro e não apenas em resultados imediatos ou a médio prazo.

Como a moda polui

Tecidos moda sustentável

A poluição causada pela moda se dá desde o processo de produção da matéria prima até passar pela confecção em grande escala de produtos, más condições de trabalho e, claro, na influência do consumo inconsciente por parte do público em geral.

Dentre os principais problemas enfrentados pela indústria, estão:

  • Uso de pesticidas na produção de matérias-primas como algodão, lã e seda;
  • Uso de corantes tóxicos e artificiais para o tingimento de tecidos;
  • Não tratamento de resíduos antes do descarte;
  • Uso desenfreado de água;
  • Desperdício sem controle de tecido;
  • Produção em grande escala;
  • Priorizar a produção focando a quantidade e não a qualidade do produto com isso gerando mais e mais resíduos e gasto excessivo de recursos hídricos.

O rastro deixado pela indústria têxtil é um problema sério e que precisa ser acompanhado e repensado por pessoas sérias e competentes. Além disso, é importante começar um processo de reeducação da população, que é o grande público consumidor.

Consumir menos e consumir melhor, priorizar peças de boa qualidade e que tragam em suas etiquetas o selo verde de fabricação.

Como a moda pode ser sustentável

O primeiro passo para uma moda sustentável é mudar o olhar sobre o que é consumo e a maneira como consumimos. A indústria da moda não é a grande vilã do meio ambiente e muito menos está sozinha quando falamos em poluição e más condutas industriais.

Porém, já existe uma luz e um caminho para uma conduta mais correta e sustentável no mundo da moda. Inclusive, já é possível ver esse estilo de produção despontar nas passarelas das principais semanas de moda do mundo e, também, algumas das maiores grifes pouco a pouco transformando suas coleções e dando mais holofotes à causa.

Quais são os 5 pilares da sustentabilidade no mundo da moda

Sabemos que para que de fato haja sustentabilidade na moda é necessária uma mudança radical, principalmente, de mentalidade de todos que fazem esse mecanismo trabalhar.

Não será do dia para noite, é uma construção passo a passo e que pode levar alguns anos até que tenhamos resultados sólidos e reais para mostrar ao mundo.

Por isso, é preciso focar no que realmente importa para que esse conceito deixe de ser uma utopia e se torne uma realidade em todos os lugares.

E o foco precisa ser nos 5 pilares fundamentais existentes na cartilha da moda sustentável:

  • Produção orgânica da matérias-primas;
  • Reciclagem consciente das sobras de tecidos;
  • Redução de resíduos;
  • Responsabilidade social com geração de oportunidades e capacitação;
  • Transparência de custos, processos de produção e impactos gerados.

Sabemos que a moda sustentável ainda é para poucos, afinal, a produção é mais cara, a quantidade de oferta para o consumidor é pouca e até o marketing não gera tanto “buzz”.

Para quem busca um estilo de vida mais consciente e quer aderir ao consumo de moda ecológica e socialmente correta, aqui vai algumas dicas:

  • Aprenda a ler as etiquetas e verifique o tipo de tecido, onde é produzida a roupa e se há alguma inscrição dizendo que é um item “verde”;
  • Valorize designers e indústrias locais que produzem em pequena escala;
  • Repense o seu modo de consumir: menos é mais;
  • Abrace fazer compras em brechós;
  • Evite o consumo em fast fashion;
  • Priorize a qualidade das roupas que consome.

A sustentabilidade na moda ainda precisa se ajustar às mais diferentes realidades para conseguir ganhar mais espaço e tornar-se mais acessível ao grande público. Não basta culpar ou apontar o dedo, tornando a moda uma vilã do planeta é preciso incentivo, projetos e políticas públicas que favoreçam a produção e o consumo consciente.

Gostou de conhecer um pouco mais sobre sustentabilidade na moda? Que tal conferir outras dicas de moda, estilo, comportamento e as principais tendências do mercado aqui no  Francisca BLOG?

GOSTOU? COMPARTILHE!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no twitter
Twitter

Deixe seu comentário